No Dia do Abraço, que tal experimentar a iniciativa de free hugs?

Movimento social convida pessoas a abraçar estranhos em locais públicos

mulher negra, jovem, segurando cartaz escrito free hugs mais homem e mulher se abraçando

Criar uma intervenção social: esse era o desafio de um trabalho da faculdade da Sara Lopes, estudante dos cursos de Arquietetura e Urbanismo e Design de Moda da Universidade Salvador (UNIFACS). Ela e mais quatro colegas formaram um grupo e decidiram colocar em prática o projeto “Free Hugs” – Abraços Grátis, na tradução em português. Inspirados nesse movimento mundial que convida pessoas a abraçarem estranhos em locais públicos, o grupo partiu em direção ao Largo 2 de Julho, na capital baiana, com um objetivo: mudar o dia das pessoas que passavam por ali.

Juntos, os estudantes compartilhavam uma aflição: será que daria certo o que haviam planejado? As pessoas participariam? Mas – olha que surpresa! – a quantidade de pessoas que aderiu ao movimento foi super significativa: durante uma tarde, o grupo abraçou cerca de 90 desconhecidos. “A grande maioria aceitou a brincadeira numa boa, principalmente as mulheres, mas muitos homens, jovens ou mais velhos (até mesmo idosos) também participaram em peso”, conta <3.

Entre as reações, houve quem só abraçou, sem dizer nada. Sara conta que, mesmo assim, não ficou constrangida. “Sentia como se estivesse trazendo um pouco de felicidade para o dia daquelas pessoas”, diz.

Para a psicanalista, pesquisadora e professora adjunta do Departamento de Psicologia da PUC-Rio, Monah Winograd, um abraço pode ter o sentido de amor e acolhimento, como uma espécie de manifestação de carinho e cuidado. “Quando ele é pleno, sincero e verdadeiro, permite um contato físico de corpo inteiro e a percepção do calor do outro. Dependendo do estado subjetivo de quem dá e de quem recebe, pode ter o sentido de um apoio, de estar sendo acolhido”.

A estudante Sara acredita que um simples abraço pode fazer o dia de uma pessoa melhor. “Para mim, abraçar ou ser abraçada por um amigo quando o dia não vai bem é como encontrar um porto seguro“, diz.

E você, já pensou em comemorar o Dia do Abraço, neste 22 de maio, abraçando alguém? Um simples abraço pode fazer outra pessoa mais feliz <3

Como participar (aliás, que dia ótimo para começar, não?)

O Free Hugs já acontece em cidades de diversos continentes: desde Tóquio, no Japão, até Vitória da Conquista, no interior da Bahia. No Brasil, geralmente quem organiza os eventos de abraços grátis são ONGs, grupos de amigos voluntários engajados em causas solidárias e grupos de jovens de igrejas. Confira imagens e informações de ações realizadas no Rio de Janeiro, Santa Catarina e em outros estados brasileiros clicando aqui.

COMENTÁRIOS 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Connect with
with Facebook

COMENTÁRIOS

  1. Um abraço grátis,sem interesse nenhum,é mto mais importante do q quem dá e quem recebe possa imaginar. Às vezes,as pessoas saem de casa tristes,e stressada ou até mesmo essas pessoas são carentes de afeto q n encontram em suas residências ou no meio social. É mto bom fazer o bem! Faz bem pra alma.