Juntas mesmo de longe, porque a distância é um detalhe

Conheça a história de mãe e filha que apostaram em alguns truques para celebrar o Natal a distância

Cíntia Barlem

Esse será o terceiro Natal de Cíntia Barlem longe da família que ficou no interior do Rio Grande do Sul. Jornalista, ela se mudou para o Rio de Janeiro em 2010 por conta de uma oportunidade bacana de emprego, se apaixonou pela cidade e só voltou ao Sul do país de visita. Mas logo ela, a primeira filha menina de uma mãe tão coruja? Sim, a filha que sempre foi superpróxima da mãe conta que em momento algum foi desencorajada a ir “seguir seu sonho”. Sabe aquela mãe que segura a lágrima pela realização da filha? <3

A escala de trabalho de Cíntia não a deixou passar o Natal com a família desde que se mudou. Mas, como dizem por aí, não é preciso estar perto para estar junto, e Cíntia e sua mãe são prova disso. As duas encontraram alguns truques, com a ajuda da tecnologia, para sentir uma mais perto da outra no Natal, mesmo com os mais de mil quilômetros entre elas. Alguns desses artifícios começam bem cedo, logo no início de dezembro, com a decoração de Natal. As duas, que desde que Cíntia se mudou, vivem coladas no celular, mandam fotos da decoração de Natal que estão montando e uma dá palpite nas ideias da outra. O tapete da casa de Cíntia com motivos natalinos, por exemplo, foi a mãe que fez. “É mais uma forma de senti-la perto“, conta Cíntia.

Cíntia e a família no Natal

Até na hora de montar a árvore de Natal da família, que sempre é um acontecimento, as duas estão juntas. Um filho sempre está perto para ajudar, e Cíntia, mesmo em outro estado, se sente presente também quando recebe fotos do passo a passo e, ao fim, uma linda foto com a árvore pronta! Na véspera de Natal, é como se as duas estivessem cozinhando juntas. A mãe dá conselhos e indica receitas para deixar a ceia da filha mais gostosa. É o jeitinho e carinho de mãe que supera fácil a distância.

Desde que se mudou para o Rio de Janeiro, Cíntia celebra o Natal na casa da família de amigos mas, nesse ano, uma amiga sua, também gaúcha, vai passar o seu primeiro natal longe de casa. Então, elas tiveram a ideia de fazer uma ceia diferente e unir suas “forças”: vão fazer um piquenique da Lagoa Rodrigo de Freitas. “Sempre foi bem difícil passar essa data tão importante longe da minha família. Nosso Natal é bem tradicional, cheio de valores. Não importava em que cidade estivéssemos, todos os filhos corriam para a casa dos pais para viver mais um Natal inesquecível“, conta, emocionada.

Esse ano, apesar da programação inusitada, Cíntia promete que não será diferente. Na véspera, não vai mais desgrudar do celular, quando começa a conversar com os irmãos e pais por vídeo, momento em que, confessa: rolam algumas lágrimas. Afinal, mesmo pelo celular, há sentimento verdadeiro, e isso é o que importa para ela, que tem a sua maior certeza: “estarão sempre presentes na vida uns dos outros, mesmo à distância.”

COMENTÁRIOS 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Connect with
with Facebook

COMENTÁRIOS