Cinco mulheres que atualizaram as definições de beleza em 2016

Saiba como elas inspiram outras mulheres a acreditarem na própria beleza

As definições de beleza foram atualizadas em 2016. Graças a todas as mulheres que acreditam que a beleza não deve seguir padrões pré-estabelecidos, e que desafiam esses padrões de alguma forma, é que pudemos ver e admirar nesse ano a beleza em sua forma mais diversa (e linda!).

Listamos abaixo apenas cinco das milhares de mulheres que nos inspiram todos os dias, mas é o nosso jeito de homenagear todas que acreditam na beleza que têm – seja qual for a sua cor, o seu tipo físico, a sua idade e a sua história.

Winnie Harlow

modelo Winnie Harlow em close

 

A modelo canadense Winnie Harlow se tornou uma importante referência para mulheres e homens com vitiligo, uma doença não-contagiosa caracterizada pela descoloração da pele. A atitude de mostrar as manchas e de valorizar a própria beleza está contribuindo para que o estigma sobre a doença seja combatido a cada dia. Inclusive, em algumas comunidades de portadores de vitiligo, existe uma expressão que resume a luta contra o preconceito: “somos vitilindos!” <3

Raissa Santana

A vitória de Raissa Santana no Miss Brasil 2016 chamou a atenção para uma realidade que muitas mulheres repercutiram nas redes sociais esse ano: a beleza negra nunca foi tão representativa. Junto com Raissa, que era candidata do Paraná, outras cinco mulheres negras concorreram esse ano à coroa que, até hoje, só uma negra além de Raissa utilizou: a gaúcha Deise Nunes, em 1986 – há exatos 30 anos. A gente confessa que torceu (junto com milhares de pessoas que acompanharam o concurso pelas redes sociais) para que uma negra ocupasse mais uma vez esse lugar de mais bonita do Brasil – e quem sabe, Raissa, em breve, do universo inteiro! Porque 30 anos é muito tempo para a diversidade da beleza que existe no Brasil. 🙂

Baddie Winkle

Uma foto publicada por badddiiie (@baddiewinkle) em

Aos 88 anos, a instagrammer Baddie Winkle tem 2,4 milhões de seguidores em seu perfil e desafia todos os estereótipos normalmente atribuídos as “vovós”: usa roupas coloridas, justas, transparentes e decotadas, e parece ter mais energia do que muitas it girls com metade da sua idade! A popularidade de Baddie começou quando ela tinha 85 anos, quando apareceu pela primeira vez no Instagram usando roupas coloridas de sua bisneta. Ela garante que em nenhuma fase da vida deixou de se sentir sexy, e sua autoestima inspira fãs de todas as idades e partes do mundo. Tem como não achar um amor essa vovó?

Ju Romano

Uma foto publicada por Ju Romano (@ju_romano) em


A blogueira Ju Romano é uma das brasileiras que está desafiando a chamada “ditadura da magreza”: ser gorda e linda ao mesmo tempo é tão possível que ela será a primeira plus-size a posar nua para uma revista masculina no país. Em entrevistas, Ju tem dito que aceitou o convite para o ensaio nu (que, aliás, não terá nadinha de Photoshop) porque, se na adolescência tivesse visto uma gorda sendo apresentada como sensual, talvez encarasse a própria sensualidade de uma forma diferente hoje.

Cátia Line Rissi

Uma das mulheres que participaram do ensaio sobre o câncer de mama

 

A fotógrafa catarinense Cátia Line Rissi produziu em 2016 um trabalho inspirador: um ensaio fotográfico apenas com mulheres que encararam o câncer de mama e aprenderam a amar o próprio corpo e as cicatrizes causadas pela doença. O ensaio virou exposição durante o mês de outubro, mês da prevenção do câncer de mama, e inspirou muitas mulheres que venceram a doença a enfrentarem o preconceito e celebrarem a vida e a felicidade de ter superado essa adversidade. Porque a beleza também está em celebrar a vida e a vontade de sorrir e ser feliz depois de um momento ruim, você não acha? 🙂

Por: Cláudia Flores
Fotos: Catia Line Rissi, Getty Images e Reprodução/Instagram

COMENTÁRIOS 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Connect with
with Facebook

COMENTÁRIOS

  1. Amei fazer parte desse projeto, superei ocâncer, venci e estou curada graças à Deus, aos médicos, amigos, meu marido e minha filha, e a rede feminina de combate ao câncer de mama de Xanxerê, sou grata à fotógrafa Cátia Lini Rissi, por esse projeto lindo.